A valorização dos produtos da floresta através da consolidação dos seus mercados gera emprego e renda para os povos da floresta e mantém a floresta amazônica em pé para futuras gerações.
   ÓLEOS
        ::: Açaí
        ::: Andiroba
        ::: Buriti
        ::: Castanha
        ::: Maracujá
        ::: Patauá
        ::: Pracaxi
        ::: Tucumã
   MANTEIGAS
        ::: Bacuri
        ::: Cupuaçu
        ::: Muru-muru
        ::: Tucumã
        ::: Ucuúba
   RESINAS
        ::: Breu-branco
        ::: Copaíba

 

 

 

 

 

 

 

MANTEIGA CUPUAÇU - CUPUAÇU (Theobroma Grandiflorum, Malvaceae)

ÉPOCA DE COLHEITA

 

CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS E COMPOSIÇÃO DE GRAXAS

O óleo extraído das sementes do cupuaçu oferece propriedades fantásticas para a indústria cosmética. A manteiga de cupuaçu é um triglicerídio que apresenta uma composição equilibrada de ácidos graxos saturados e insaturados, o que confere ao produto um baixo ponto de fusão (aproximadamente 30°C) e aspecto de um sólido macio que se funde rapidamente ao entrar em contato com a pele. A manteiga de cupuaçu possui alto poder de absorção de água, aproximadamente 240% superior a da Lanolina, atuando como um substituto vegetal da mesma. Ela contém fitoesteróis (especialmente beta-sitosterol) que atuam a nível celular regulando o equilíbrio hídrico e a atividade dos lipídeos da camada superficial da pele. O alto poder de absorção da água da Manteiga de Cupuaçu pode ser atribuído às pontes de hidrogênio formadas entre as moléculas de água e os fitoesteróis. Os fitoesteróis tem sido utilizados no tratamento de dermatites e afecções por estimular o processo de cicatrização.

 

UTILIZAÇÃO POPULAR

Popularmente, do cupuaçu utiliza-se apenas a sua polpa para consumo, tanto na forma de sucos, sorvetes, cremes e doces. A remoção da polpa é uma operação trabalhosa e efetuada através de tesoura. Em algumas localidades as sementes são fermentadas, secas ao sol, torradas e trituradas no pilão e utilizadas como chocolate comum, também chamado de cupulate. Em geral, as sementes que representam um subproduto do processamento da polpa, são subutilizadas e dispensadas. Com o interesse crescente da indústria farmacêutica para obter a manteiga do cupuaçu, as indústrias e cooperativas de polpa de frutas começam a separar e beneficiar as sementes em maior quantidade.

ECOLOGIA

O cupuaçuzeiro é uma planta nativa da região Amazônica. É uma pequena árvore de 4 – 8 m (quando cultivado) ou de até 18 m de altura (nos indivíduos silvestres, na mata alta) e pertence à mesma família e gênero do cacau. A fruta é grande, em forma de cilindro com extremidades arredondadas, podendo atingir 30 cm de comprimento com média de 1,2 kg de peso. Na maturação, os frutos caem sem o pedúnculo, quando começam liberar o cheiro característico, o que indica a perfeita maturação dos mesmos. O fruto contém uma polpa suculenta e cremosa de sabor característico aderida à 20 a 30 sementes ovaladas grandes. A manteiga do cupuaçu, semelhante a “manteiga” do cacau, porém com qualidade superior, é extraída das sementes que contem aproximadamente 45 % de óleo.

A produção em plantios comerciais inicia-se a partir do 3º ano e alcança em média 12 frutos por árvore. Recomenda-se o plantio de 180 plantas por hectare, que pode chegar a uma produtividade média de 2.148 frutos, que corresponde 990 kg de polpa e 443 kg de sementes (em média o fruto tem 38,4 % de polpa, 17,2 % de sementes e 44,4 % de casca). Em geral, com 1.000 kg de sementes frescas, se produz 135 kg de manteiga de cupuaçu.


REFERÊNCIAS UTILIZADAS

Chlebarov; S. 1990: "Die Kosmetichen Eigenschaften der Phytosterole"1 TW Dermatologie.

MORAIS, L. R. : Banco de Dados Sobre Espécies Oleaginosas da Amazônia, não-publicado.

MÜLLER, C. H. et. al. : A cultura do cupuaçu. 1995, Embrapa-CPATU, coleção plantar 24, p.61.

WINKLER, A. 1977: Experimental studies of effect of water content of upper layers of human skin. Arztl. Kosmetologie,7 , 65-77.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

 

 

English LanguageDeutsche Sprache