MULATEIRO (Calycophyllum spruceanum)

ÉPOCA DE COLHEITA

DADOS FÍSICO-QUÍMICOS E APLICAÇÕES

A casca do mulateiro contém uma grande quantidade de taninos que lhe dão um efeito adstringente. Recentemente, a planta tem sido documentada para conter um elevado teor de fenóis e ácidos orgânicos que têm demonstrado atividade antibacteriana, antifúngica e inseticida. Os fenóis demonstram forte atividade antioxidante, o que pode explicar o seu uso tradicional para inibir o processo de envelhecimento da pele.

Outra substância chamada ácido acetilênico (um ácido orgânico de cadeia longa), provou ser um antibiótico com ação contra bactérias e fungos.

Rejuvenesce a pele facial,eliminando as linhas de expressão causadas pela idade. Reduz e clareia manchas escuras, que os dermatologistas chamam de hiperpigmentação.

Fortalece e repara os fios quebradiços, restaura a suavidade natural e devolve o brilho além de fortalecer o couro cabeludo.

USO POPULAR

Conhecido entre as comunidades florestais como a “árvore da juventude” por causa da constante renovação de sua casca. Tradicionalmente uma decocção é feita a partir da casca e aplicado a rejuvenescer a pele, deixando-a mais macia, bonita e hidratada. Fazendo uma cataplasma da casca é aplicada topicamente no tratamento de cortes, feridas e queimaduras e acredita-se ter qualidades antifúngicas e cicatrizantes.

ECOLOGIA

O mulateiro é uma árvore de multiuso na Amazônia. Ela cresce até uma altura de cerca de 30 metros, e tem sido muito utilizado como uma madeira de alta densidade. Mulateiro é conhecido por sua capacidade de regenerar sua casca em uma base anual, transformando a colheita da casca totalmente renovável e sustentável.

REFERENCIAS

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas árboreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 352p. .

RAINTREE. The Amazon plants: the rainforest plant database. USA, Carson city, 2003. .

REVILLA, J. Apontamentos para a cosmética amazônica. Manaus: SEBRAE-AM / INPA, 2002b. 532p. .

Apoiando Comunidades

A valorização e o manejo sustentável da floresta amazônica por nossos parceiros comunitários fortalecem a economia local e contribuem decisivamente para a preservação da floresta em pé.