.

A composição química da resina de óleo de copaíba (Copaifera officinalis) tem aproximadamente 72 sesquiterpenos (hidrocarbonetos) e 28 diterpenos (ácidos carboxílicos). Os diterpenos se aplicam na maioria das aplicações terapêuticas, um fato cientificamente comprovado. Os sesquiterpenos são parcialmente responsáveis pelo aroma das resinas oleosas e têm propriedades antiulcerosas, antivirais e anti-rinovírus.

ÓLEO ESSENCIAL DE COPAÍBA
A destilação é um processo de separação baseado no equilíbrio entre as fases líquida e gasosa do óleo-resina, uma mistura homogênea. A coluna de destilação opera sob pressão negativa que facilita a ebulição dos componentes óleo-resina a baixas temperaturas, evitando a transformação de seus bioativos em outras substâncias.
A fase mais volátil da condensação permanece nos pratos superiores da coluna de destilação. É uma substância incolor, de aroma agradável e rica em sesquiterpenos. O óleo essencial de copaíba é amplamente utilizado na indústria de perfumes como um excelente fixador de aromas, combinando perfeitamente suas notas frescas e acrílicas com essências com notas florais.
Devido a suas propriedades emolientes, bactericidas, fungicidas e antiinflamatórias, é amplamente utilizado na fabricação de cremes, sabonetes, xampus e condicionadores de cabelo.

 

ECOLOGIA

O processo de extração do óleo-resina de copaíba (Copaifera officinalis) ainda é rudimentar. Um furo é feito na madeira com uma broca, a 60 ou 70 cm do chão até o centro do tronco. A resina gotejada é coletada. Uma única copaíba pode fornecer cerca de 40 litros de oleorresina anualmente, tornando-a um recurso sustentável da floresta tropical sem destruir a árvore ou a floresta na qual ela cresce. Quando batida, a resina oleorresina inicial é clara, fina e incolor; ela engrossa e escurece ao contato com o ar.  As resinas de óleo de copaíba comercialmente vendidas são um líquido espesso e transparente com uma cor que varia do amarelo pálido ao marrom claro dourado até o marrom escuro.

REFERENCIAS

GALUCIO. C. de S. et al (2016): RECUPERAÇÃO DE SESQUITERPENOS DO ÓLEO-RESINA DE COPAÍBA A PARTIR DA DESTILAÇÃO MOLECULAR. Quím. Nova [online]. 2016, vol.39, n.7, pp.795-800. https://www.amazonoil.com.br/copaiba-resin/ .

Apoiando Comunidades

A valorização e o manejo sustentável da floresta amazônica por nossos parceiros comunitários fortalecem a economia local e contribuem decisivamente para a preservação da floresta em pé.